terça-feira, 31 de maio de 2011

Um ano e três meses: I'M IN MIAMI BITCH!

Permitam-me escrever sobre meu décimo quinto mês na terra do tio Sam com alguns dias de atraso: comemorei-o durante minha semana de férias (as últimas como au pair) em Miami. Oito dias no sol escaldante da Flórida.

Ficamos num hotel bem simples e barato em Miami Beach (ou North Beach), de cara com a praia. Único detalhe é que a parte realmente divertida da cidade, onde encontra-se toda a muvuca (lojas, restaurantes, bares, clubs), é em South Beach, pouco mais de 70 blocos de onde estávamos hospedadas. Resultado: ônibus pra ir e voltar de praia e balada todos os dias. Digo só que até o último dia já éramos experts no transporte público de Miami.


A cidade é conhecida pelos shoppings baratos, destino de muitos comerciantes brasileiros (aliás, tem mais brasileiro em Miami que no Brasil). Decidimos não desperdiçar nosso tempo com compras, portanto fomos em apenas um dos shoppings, o Dolphin Mall (o mais conhecido deles, o Sawgrass, era muito longe de onde estávamos e precisariamos alugar um carro). No entanto, para chegar no shopping, que supostamente (como nos explicou a mulher da recepção) era o mais próximo do hotel, nos levou duas horas dentro do ônibus para ir e mais duas para voltar. Além disso, os preços milagrosos que são prometidos não diferenciavam em nada em relação aos outlets que frequentamos na Virginia. Decepcionante... Pelo menos, demos uma voltinha básica na Downtown.


Com exceção desse episódio, Miami foi uma ótima experiência. Aproveitamos muito a praia, passeamos pela Lincoln Rd e Ocean Drive, duas ruas principais de South Beach com muitos restaurantes e lojas. Conhecemos o estúdio de tatuagem do Miami Ink (Infelizmente, não me tatuei. Uma estrela simples, vazada e preta, no pé iria sair por $350. Doeu a alma). Compramos lembrancinhas diversas. Eu e uma amiga, a Michelle, fizemos parasail (DEMAIS!). Saímos a noite, inclusive no Nikki Beach, o club mais conhecido de Miami. Alugamos bicicletas e fizemos toda a South Beach. Bebemos os drinks enormes dos restaurantes da Ocean Drive. Fomos pra Key West (tema para um próximo post). No fim dos oito dias, não dormiamos direito por uma semana, mas o corpo bronzeado e o bolso vazio indicavam uma viagem bem aproveitada.

Memorial Day weekend


Segunda (30) foi o feriado Memorial Day, um dia para relembrar os soldados americanos que morreram em guerras civis. Não sabiamos, no entanto, que, durante o final de semana que o antecede, Miami recebe turistas de todo o país "adeptos" do hip-hop, em música e, principalmente, estilo. Homens de calças caindo, cuecas a mostra, boné de lado. Mulheres disputando quem chama mais atenção, com roupas inimagináveis. Na maioria gritante, negros. As ruas ficaram tão abarrotadas de gente que, durante o final de semana e feriado, algumas ruas são fechadas, complicando - e aumentando - o trânsito. Minha amiga gravou vídeos do pessoal na rua: Vídeo 1 e Vídeo 2.


Única coisa que atrapalhou nossos planos foi o de ir em diferentes baladas. Estavam tão lotadas que desistimos de frequentá-las e acabamos indo num mesmo bar/club três noites. Devido ao público, as atrações escolhidas para o final de semana são estrelas do hip-hop. No sábado (28), teve show do Drake e Lil Wayne, mas não arrumei companhia para assisti-los.

Nenhum comentário: