quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Loirinha bombril

Uma amiga minha, a Michelle (última da direita, na foto abaixo), gravou um vídeo de 36 segundos no hotel Stratosphere, em Las Vegas, de uma outra amiga, a Ana Paula, num dos brinquedos da torre (assunto para outro post que pretendo escrever ainda esse mês). Enquanto o vídeo era gravado, um casal de senhores loiros de olhos azuis começou a puxar conversa, talvez interessados na língua que estávamos conversando. (Detalhe para que entendam a história: a Michelle é do sul do Brasil, loira de olhos azuis.)

No começo do vídeo (0:02), dá pra ouvir a mulher perguntar (a mesma questão de sempre) "What country are you girls from?", pra qual eu respondo "Brasil". Pouco depois (0:30), o marido pergunta: "Is it most of the brazilians all dark skin?" ("A maioria dos brasileiros não tem pele escura?). E a resposta vem um pouco indignada: "Não, somos todos diferentes. É um país bem grande, como o seu". Mas o vídeo só pega metade do que eu digo.

São exatamente situações como essa que me fizeram escrever o post Pride and Prejudice. Não um recado a ninguém em específico, mas sim indignação com pequenas atitudes de várias pessoas desconhecidas. No fim, entendo esse tipo de pergunta como pura ingenuidade, porque para fazê-la sem nem pensar que pode ser considerada preconceito ou ignorância é porque a pessoa realmente tinha isso como verdade. E é até bom que essas situações aconteçam, para que seja possível mudar o pensamento errôneo sobre o país e nossa cultura. E eu nem sou lá uma brasileira patriota. Mas é bem irritante.

Brasileiras

Essa crioula tem o olho azul
Essa loirinha tem cabelo bombril
Aquela índia tem sotaque do sul
Essa mulata é da cor do Brasil


Para e repara bem na foto. Somos todas brasileiras, cada uma de um estado. Completamente diferentes uma da outra. E mesmo conseguindo distinguir brasileiras no meio da multidão (qualidade adquirida morando nos EUA), é isso que mais gosto entre nós: temos a mesma nacionalidade, mas possuímos características físicas individuais e únicas, diferente do que acontece em inúmeros países. Não somos todas, por exemplo, loiras de olhos claros; ou morenas de cabelos negros.

2 comentários:

Sandra disse...

Muito bom o post, Bre.

Stela disse...

Ahhh concordo plenamente!
Adorei o post, a diversidade brasileira é encantadora ao mesmo tempo que temos uma identidade que se vê de longe, não dependemos da cor da pele ou do cabelo para dizermos que somos brasileiros!
Bjao Brenda